1. Skip to Main Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer

SAÚDE: Prefeitura busca novas alternativas para suprir a demanda de médicos na cidade e atender a população

Escrito por  Carol Candido 05 Novembro 2019 Publicado em Últimas Notícias
SAÚDE: Prefeitura busca novas alternativas para suprir a demanda de médicos na cidade e atender a população Katia Freitas

Pregão eletrônico aberto nesta terça, dia 5, prevê a contratação de clínicos, pediatras e neurologista infantil

Iniciou nesta terça-feira, dia 5, e vai até o próximo dia 19, o Pregão Eletrônico que contratará uma empresa especializada para a prestação de serviços médicos e assistenciais pelo período de 12 meses a fim de suprir a demanda de atendimento médico.
“Há algum tempo, temos aberto o processo de inscrição para a seleção de novos médicos que atendam em nossas Unidades de Saúde, sem êxito. Sempre em busca de alternativas, esperamos que agora, com a contratação da empresa, possamos atender às necessidades de atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), Unidades Básicas de Saúde (UBS) e no Odil”, explica o prefeito Miki Breier.

O secretário interino da Saúde, Dyego Matielo, lembra que com a abertura da UPA, Cachoeirinha teve um aumento de atendimentos na cidade. A modalidade de contrato com empresa de serviços médicos foi estudada em outros municípios vizinhos, em situação semelhante à de Cachoeirinha. “Assim surgiu a opção de abrir o processo licitatório para termos estes profissionais disponíveis a um custo justo”, esclarece Dyego.
O contrato com a empresa vencedora prevê a contratação de médico clínico geral, pediatra, médico responsável técnico e médico neurologista pediatra. A proposta é a de que, com a empresa contratada, Cachoeirinha possa atender a demanda de médicos plantonistas para a UPA na escala de 12 x 36 horas, atuando principalmente na substituição temporária de outros servidores que estejam em férias, licenças, folgas ou possíveis faltas.
O neuropediatra terá atuação de 10 horas semanais, na UBS Odil Silva de Oliveira.“Será um avanço grande no setor de urgência e emergência, sempre buscando ampliação e qualificação do atendimento”, finaliza o secretário Dyego.

Regime de Trabalho Complementar Especial

Outra ação do município que visa sanar a falta de médicos e outros profissionais da saúde, foi a aprovação da Lei N° 4557, de 25 de outubro de 2019, que institui o Regime de Trabalho Complementar Especial da Secretaria Municipal de Saúde. O projeto tem como objetivo possibilitar que servidores de nível superior da área da saúde e médicos veterinários, com carga horária de oito horas semanais sejam convocados para Regime de Trabalho Complementar Especial de quatro ou de oito horas, totalizando, respectivamente, 12 e 16 horas de trabalho semanal. Os médicos com carga horária de 12 horas semanais poderão ser convocados para regime de seis ou de 12 horas, totalizando, respectivamente, 18 e 24 horas de trabalho semanal.

Texto de: Carol Candido/Diretoria de Comunicação Social/PMC
Edição de: Gisele Ortolan/Diretoria de Comunicação Social/PMC
Foto/Arte de: Katia Freitas
- Autorizada a reprodução dos textos, desde que as fontes sejam citadas.