1. Skip to Main Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer

CORONAVÍRUS: Secretário faz apelo ao comércio: vamos evitar o retrocesso

Escrito por  Vanessa Martins 25 Maio 2020 Publicado em Últimas Notícias
CORONAVÍRUS: Secretário faz apelo ao comércio: vamos evitar o retrocesso Divulgação/PMC

Diante das denúncias de descumprimento das normas de prevenção ao Covid-19, governo pode adotar medidas mais restritivas.



“Se (o contágio do coronavírus) avançar, não haverá comércio. Vamos ter que fechar e será um retrocesso. A atitude de alguns pode prejudicar a maioria”, alertou o secretário municipal de Sustentabilidade, Trabalho e Desenvolvimento Econômico, Luiz Gouvêa, na live de sexta-feira, 22, no Facebook.
Ele se referia à insistência de alguns comerciantes em não aderir às medidas de prevenção à Covid-19, que estão normatizadas nos decretos municipais e, principalmente, no Modelo de Distanciamento Controlado, adotado pelo Governo do Estado. Os municípios, inclusive, são obrigados a cumprir as normas estaduais. “Enquanto gestores, temos de adotar um equilíbrio entre a economia e a saúde da população. Se continuarmos seguindo as medidas preventivas, logo poderemos ter uma vida normal”, reforçou Gouvêa.
O secretário também lembrou aos ambulantes e microempreendedores de que precisam ter os alvarás necessários para trabalhar. “Não queremos multar, prejudicar a atividade econômica, mas não podemos deixar de seguir as normas”, afirmou. O prefeito Miki Breier também ressaltou a questão da prevenção ao vírus: “sejamos fiscais uns dos outros. É uma questão humanitária, muito além do cumprimento de leis”.
O secretário ainda revelou que há 90 solicitações de alvará de funcionamento e ambiental em andamento, o que significam novas empresas querendo se instalar na cidade: “estaremos nos debruçando nisso para acelerar estes processos. É uma boa notícia. Cachoeirinha é um ponto estratégico e uma cidade atrativa para os negócios”.
Conforme o Centro Integrado de Controle e Comando de Cachoeirinha (CICC), que recebe as denúncias desde que passaram a vigorar as normas dos decretos, em 19 de março, até o dia 4 de maio, em torno de 2 mil ligações foram recebidas. Foram registrados 400 boletins de atendimento e 19 notificações a estabelecimentos comerciais.
De acordo com as determinações, é preciso que os estabelecimentos sigam normas de prevenção: o Decreto 6888, de 30 de abril, autoriza o funcionamento dos estabelecimentos não essenciais com restrição de horário: das 10h às 16h, mediante o cumprimento de todas as regras de distanciamento, do uso de equipamento de proteção individual e o cumprimento das medidas de higienização. O telefone para denúncias é o 153 ou 3469.5311. Já o descumprimento de normas sanitárias devem ser denunciadas à Vigilância Sanitária: 3041.8650.