1. Skip to Main Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer

INCLUSÃO: Município entrega 70 carteiras de identificação do autista

Escrito por  Andressa de Bem e Canto 26 Maio 2020 Publicado em Últimas Notícias
INCLUSÃO: Município entrega 70 carteiras de identificação do autista Larissa Ribeiro PMC

O objetivo é garantir a prioridade no atendimento em filas e locais públicos, com base na Lei Municipal N° 12.764/2012, além de benefícios como isenções e descontos em alguns produtos e serviços.


    O município de Cachoeirinha, através da Secretaria de Saúde, confeccionou 70 carteiras de identificação do autista, para serem distribuídas às famílias da Associação Pais e Amor. A entrega oficial aconteceu nesta terça-feira, 26 de maio, no Gabinete do Prefeito. Cachoeirinha é um dos municípios pioneiros na iniciativa, na região metropolitana, somente Alvorada também dispõe de carteira de identificação do autista.
    O objetivo é garantir a prioridade no atendimento em filas e locais públicos, com base na Lei Municipal N° 12.764/2012, além de benefícios como isenções e descontos em alguns produtos e serviços. Para requerer a carteira de identificação, a família deve ter cadastro na Associação Pais e Amor, que solicita o documento à Secretaria de Saúde.
    Na ocasião, o prefeito Miki Breier falou da importância do trabalho da Associação e lembrou da sede que está sendo construída no Parque da Matriz, através de uma cedência de área pública. “Nós entendemos a relevância do trabalho de vocês e agradecemos a sensibilidade no cuidado das crianças e adolescentes autistas e suas famílias”, declarou o prefeito.
    A vice-presidente da Associação Pais e Amor, Adriana Gouvea, comemorou a chegada das carteiras. “É uma luta de muito tempo. Agora, teremos a identificação acessível, sem a necessidade de andar com laudos”, pontua a mãe de uma menina autista de oito anos.
    O estudante Ítalo José de Oliveira, 16 anos, estava ansioso para receber a sua carteira e contou que adora desenhar. “Eu fiz um gibi, que foi exposto no Shopping do Vale. Quero fazer outro em 2021”, projeta o menino participante da Associação Pais e Amor desde o seu surgimento. A mãe de Ítalo, Eliane Silva de Oliveira, conta que o diagnóstico de autismo veio quando ele tinha pouco mais de dois anos. “O Ítalo demorou para falar, o que nos levou a buscar tratamento”, revela.
    A Associação Pais e Amor atua há quatro anos e tem 120 famílias cadastradas só em Cachoeirinha. São voluntários que promovem reuniões entre pais e profissionais da área do autismo, além de grupos terapêuticos. A Associação também desenvolve projetos como arteterapia com autistas, programas de conscientização, através de palestras, exposições e panfletagens; e um projeto piloto de alfabetização de autistas.